Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
domingo, 19 de maio de 2019
SADER_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Acusada de matar babá de 11 anos é julgada no Pará

14 Jun 2007 - 09h35

O segundo julgamento de Roberta Sandreli Rolim, acusada de envolvimento na morte da menina Marielma de Jesus Sampaio, de 11 anos, começou na manhã desta quinta-feira (14) em Belém (PA). É a segunda vez que Roberta enfrenta o júri. Ela já foi condenada a 38 anos de prisão em regime fechado no ano passado, mas teve direito a novo julgamento porque a pena ultrapassou 20 anos.

 

Segundo o processo, Roberta e o marido Ronivaldo Guimarães mataram Marielma, que trabalhava como babá na casa deles. O crime ocorreu em novembro de 2005. A acusação diz que Guimarães teria atacado a criança com um banco de madeira. Roberta o teria auxiliado no crime e, inicialmente, assumiu a autoria do delito. Mas depois ela disse que o marido foi o único autor do assassinato.

Guimarães já foi condenado a 52 anos de prisão. O primeiro jugamento ocorreu em 2006. Em maio deste ano, ele passou por novo júri e a pena foi confirmada.

 Repercussão internacional

O crime teve repercussão internacional e foi denunciado na Organização Internacional do Trabalho (OIT). Marielma era filha de lavradores e foi entregue pela mãe ao casal, para estudar e trabalhar de babá. Em troca do trabalho, a família receberia, mensalmente, uma cesta de alimentos.

 

O laudo sobre as causas da morte da menina aponta que ela teve fraturas no crânio, nas costelas, pulmões perfurados, ruptura do baço e dos rins, queimaduras e marcas de choque elétrico. Os exames também comprovaram que a babá foi vítima de abuso sexual.
 

 Acusação e defesa

O promotor de Justiça Paulo Guilherme Godinho vai sustentar a tese do homicídio quadruplamente qualificado. Godinho está à frente da acusação desde o oferecimento da denúncia e participou do primeiro julgamento de Roberta, realizado em 11 de agosto de 2006.

O representante do Ministério Público deve atuar em conjunto com advogados de entidades de defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente e dos Direitos Humanos que acompanham o caso.

O advogado Dorivaldo Belém defende a ré. Caso mantenha a mesma tese do júri anterior, o defensor vai sustentar a inocência da cliente e tentar convencer os sete jurados de que a mulher era também vítima do marido. De acordo com a tese do advogado, Roberta não denunciou o marido por temer pela própria segurança e da filha.

 

 

G1

Deixe seu Comentário

Leia Também

AÇÕES ROSE MODESTO
Rose Modesto quer aumentar pena por feminicídio, Assista a entrevista
SEQUESTRO
Suspeito de manter adolescente em cárcere privado é preso em flagrante
FATALIDADE
Caminhão enrosca em fiação elétrica e provoca morte de idosa em Pérola
DISCUSSÃO FATAL
Em briga de casal, pai arremessou vaso e matou criança de 9 meses
COVARDIA
Motorista fecha porta e dá chute em idoso para impedir embarque em ônibus. Veja o Video
FAMOSIDADES
Leticia Almeida recebe R$ 1 mil de pensão de Jonathan Couto e pede resisão para R$ 5 mil
CAMPO BELO RESORT - VÍDEO
VÍDEO: Olha o quem vem por aí no Campo Belo Resort, em breve um complexo aquático de tirar o fôlego
JUSTO - NO SENADO
Comissão do Senado aprova projeto que obriga presos a pagarem por suas despesas
ACIDENTE IMPRESSIONANTE - VÍDEO
Impressionante: câmera flagra colisão entre ônibus e caminhão, ASSISTA
RESGATADO
Bandidos sequestram homem, pedem R$ 450 mil e Choque resgata vítima