Menu
LIMIT ACADEMIA
quarta, 20 de fevereiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

A cada 3 queimadas na América do Sul, duas são no Brasil

20 Ago 2010 - 15h05Por R7

De três focos de incêndio registrados hoje na América do Sul, dois acontecem em território brasileiro, de acordo com números do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). O órgão, que monitora os incêndios, informa que, na última quinta-feira (19), o país teve 12.044 dos 18.221 focos registrados em todo o continente sul-americano - os focos no Brasil representam dois terços do total da América do Sul.

Segundo mapeamento do órgão, a Bolívia ocupa o segundo lugar, com 4.285 focos de incêndio, número bem maior do que a terceira colocada, a Argentina (685), informa Raffi Agop, meteorologista especialista em queimadas do Inpe. Durante esta semana, os dados não apresentaram variação nesta semana.

- Em toda época de queimada, o Brasil apresenta números de focos de incêndio maiores do que os vizinhos. O tamanho do país e a maior atividade e desenvolvimento agrícola ajudam a criar esse cenário. Mas há de se ressaltar que o número é alto em todo o continente.

A área do território brasileiro, de cerca de 8,51 milhões de km², representa metade da do continente (17,85 milhões de km²). Além da dimensão do país, a atividade humana ajuda a entender porque o Brasil registra maior número de focos de incêndio. As queimadas se concentram mais no norte do Centro-Oeste e no sul do Norte, onde a fronteira agrícola está se expandindo. O cerrado, vegetação predominante na região, e a baixa umidade do ar deste período de seca, facilitam os focos de incêndio, segundo Agop.

- Ainda há uma forte cultura de uso da queimada para “limpar” o solo. Até por isso ela é proibida nos meses mais secos, em agosto e setembro, mas muitos agricultores ainda utilizam essa técnica. No cerrado, as chances do fogo sair do controle e se espalhar são muito maiores.

No Brasil, dois Estados lideram as queimadas. Na última quinta-feira, o Pará registrou 3.214 focos de incêndio. Mato Grosso ficou atrás, com 2.885. O fogo eleva a poluição na região, que
aumentou em até 20 vezes nos últimos dias, segundo o Inpe.

América do Sul

A América do Sul é um continente com altos índices de queimadas no inverno, de acordo com o Inpe. A vegetação similar entre os países e o mesmo modelo de agricultura utilizado na produção ajudam a criar o cenário.

O coordenador de proteção e prevenção de incêndio do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, Christian Niel Berlinck, afirma que é natural a disparidade entre o Brasil e o resto do continente e ressalta que a maioria dos incêndios de grande porte no país está acontecendo em locais usados para o agronegócio.

- Sempre tivemos mais incêndios do que os vizinhos. É normal, temos uma área maior e mais pastagens. O que está havendo é que esses focos estão mais presentes em áreas que foram desmatadas anteriormente, nos últimos anos. Essas queimadas são comuns nessa região.

A Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) informou que disponibiliza informações e técnicas para o agricultor realizar uma queimada segura. Além disso, promove cursos para a utilização de técnicas menos agressivas ao solo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BBB 19
Rízia chora por estar acorrentada: 'Vontade de desistir'
LARANJADA
Deputados do PSOL distribuem laranjas na chegada de Bolsonaro à Câmara
AMOR A PROFISSÃO
Pedreira caprichosa viraliza com trabalho detalhista e ganha novos clientes
FÁTIMA DO SUL - O BOTICÁRIO
O Boticário apresenta Quasar Brave, venha conferir no O Boticário em Fátima do Sul
SUPERAÇÃO
Jovem que morou 5 anos nas ruas se forma em Direito
FENÔMENO
Maior superlua de 2019 iluminará o céu nesta terça, 19
FAMOSIDADES
Padre sertanejo acusado de ostentação cobra entrada de idosos para assistir programa
ACIDENTE FATAL
Adolescente é atropelada quando levava pai em cadeira de rodas, veja o vídeo
VIOLENCIA DOMESTICA
'Não consigo reconhecê-la', diz irmão de mulher espancada no 1° encontro
O REI ROBERTO CARLOS
Roberto Carlos vestiu rosa e se mostrou contrário a projeto de Jair Bolsonaro