Menu
SADER_FULL
sexta, 22 de junho de 2018
PASSARELA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

15 prefeitos de MS confirmam presença em manifesto

3 Dez 2004 - 07h38
 

Pelo menos 15 prefeitos de Mato Grosso do Sul confirmaram presença durante manifesto em Brasília, previsto para a próxima quarta-feira (8), em favor da aprovação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que prevê aumento de 1% do FPM (Fundo de Participação dos Municípios).

Organizado pela CNM (Confederação Nacional de Municípios), o movimento reivindica do Planalto um reforço de caixa de R$ 1,2 bilhão para distribuição entre os municípios brasileiros, o que representaria para Mato Grosso do Sul algo em torno de R$ 15 milhões.

Com esse dinheiro, os prefeitos, que estão na iminência de concluir seus mandatos, teriam condições de pagar a folha de pessoal neste fim de ano, quitando, principalmente, o 13º salário dos servidores.

O presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), Waldeli dos Santos Rosa (PMDB), afirmou que o número de prefeitos interessados em participar da “Marcha à Brasília” pode aumentar até o dia do movimento.

Por enquanto, segundo ele, já confirmaram presença os prefeitos de Amambai, Wilson Otano Nunes (PP), de Brasilândia, Marilza Rodrigues do Amaral (PTB), de Campo Grande, André Puccinelli (PMDB), de Rio Brilhante, Paulo Cuel (PDT), de Ivinhema, Néri Kuhnen (PDT), de Nova Andradina, Roberto Hashioka (PL), de Inocência, José Arnaldo Ferreira de Melo (PTB), de Chapadão do Sul, João Carlos Krug (PL), de Nova Alvorada do Sul, Vanildo Leão (PMDB), de Jateí, Eraldo Jorge Leite (PL), de Antônio João, Dácio Queiroz (PMDB), de Sidrolândia, Enelvo Felini (PDT), de itaquiraí, Edson Vieira (PL), e de Angélica, Milton Damasceno de Lima (PL).

Waldeli disse que, além da dedicação dos prefeitos na luta pela aprovação da emenda constitucional, é importante destacar o empenho da bancada federal nas discussões em torno da votação da matéria pela Câmara dos Deputados.

 

Segundo ele, boa parte das prefeituras depende desses recursos extras para fechar a folha de pagamento e quitar outras dívidas. “Sem isso, é praticamente impossível cumprir os compromissos neste fim de ano”, alerta, lembrando que a Assomasul tem participado de todas as lutas e reivindicações em favor de mais recursos para os municípios.

Waldeli observa ainda que, além de brigar pela aprovação da PEC, os prefeitos também estão mobilizados a fim de garantir dinheiro como parte das emendas orçamentárias que ainda não foram liberadas dentro do atual exercício financeiro.

 

 

Dourados News

Deixe seu Comentário

Leia Também

HAJA CORAÇÃO
Neymar é o autor do gol mais tardio, em tempo normal, de uma Copa na história
COPA DO MUNDO
No sufoco, Brasil supera a Costa Rica e consegue primeira vitória na Copa do Mundo
NOVELA GLOBAL
Segundo Sol: Rosa coloca fim em relação com Ícaro e ele toma atitude
SAUDE
Mulher dá a luz em calçada no Cajuru
FAMOSIDADES
Ex-apresentadora do ‘Vídeo show’, Alinne Prado sofre assalto a mão armada dentro de casa
RELIGIÃO
Padre é flagrado dando tapa em criança durante batismo
APOCALIPSE
André (Sidney Sampaio) é assassinado por Ricardo (Sérgio Marone)
DEMORA
Diesel cai R$ 0,62 em distribuidoras e apenas R$ 0,32 nos postos de MS
Brasil
Terceiro homem que assediou russa na Copa diz que “estão transformando um copo d’água em uma tempestade”
‘Alta Pressão’
Exército deflagra Operação para fiscalizar armamento e reduzir desvios para o comércio ilegal